Bruno Santos Da Silva
Sobre o autor

Bruno Santos da Silva, conhecido artisticamente como Bruno Black, em 1995, a convite do amigo Cleber Melo escreveu o primeiro texto em poesia, nascendo ai o amor pela escrita. Em 1999 se tornou definitivamente poeta e não parou mais.

Publicou seis livros: Perdas e Ganhos, Face a Face o que tu me diz?, Minha Cidadania Violada até quando?, Face a Face Eu Ser Palavra, Poético e Poetas Sem Nome (escrito em trio) e participou de 30 antologias ao lado de autores de várias partes do país e do mundo.

Fez parte de nove Bienais do Livro em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Também integrou as feiras Flir, Fliva, Flisamba, Flip, Fliicb, Flisc e Salão Carioca do Livro.

Em 2015, teve sua poesia, Minha voz... Meu Silêncio, exposta no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo e em 2017, na Caixa Cultural da Bahia no Projeto Poesia.

Sua obra Beijo Roubado, atraiu o olhar da grande cantora Maria Bethânia e recentemente se apresentou para Sandra de Sá, cantando e recitando no Sarau Baculêju. Apresentou-se no Museu da República do Rio no III Encontro de Poetas da Língua Portuguesa e ainda no Museu de Arte Contemporânea em Niterói (RJ). Faz parte dos autores da Festa Literária das Periferias - Flup.

Recebeu os prêmios Celebridade do Ano, Personalidade e Prêmio Excelência Literária, todos em 2016 em função do seu relevante ativismo cultural.

Atua em um dos coletivos mais plurais da Zona Oeste do Rio, Os Descabelados ao lado da educadora Katia Pires Chagas, onde realizam saraus e apresentam um programa de rádio no Hospital Nise da Silveira.

Recentemente atraiu a atenção do público no quiosque da Rede Globo no Rio, durante o Sarau de Ideias, através do seu declamar singular.

É visto como um dos mais novos produtores e empreendedores culturais da Zona Oeste e brevemente do país. Por onde passa faz barulho, recitando em saraus pela cidade, sempre sendo chamado de Incansável Poeta, tudo em nome da arte!

Seus Livros